Douscana 2015 Edição Limitada  Douro  Toscana
  • Douscana 2015 Edição Limitada  Douro  Toscana

Douscana 2015 Edição Limitada | Douro | Toscana


Código 3776

R$ 750,00

3x de R$ 250,00

veja opções de parcelamento

Compartilhe

  • Descrição
  • Regiões
  • Produtor

750ml
Região: Douro e Toscana
Uvas: Touriga Nacional e Sangiovese

Depois da Douro Family Estates produzir um “corte de quintas”, a partir de 4 castas produzidas por 4 quintas em 4 terroirs distintos, era o momento de ousar ainda mais! Assim surgiu a ideia de unir duas diferentes histórias de dois países e duas regiões, bem como duas castas que representam a alma de cada uma dessas regiões: a Sangiovese, da Toscana, e a Touriga Nacional, do Douro. A DFE uniu-se à Azienda Agricola Tamburini para produzir essa edição limitada, exclusiva da Martini Casa do Vinho no Brasil. Para presentear paladares exigentes e gosto sofisticado.

Harmonização: pratos sofisticados à base de carnes nobres.

Teor alcoólico: 14,5°

As vinhas na região do Douro remontam a 4.000 anos e foram introduzidas por povos primitivos que habitaram a região por muitos séculos. no Século I com a chegada dos romanos, a vinicultura ganhou bastante importância e durante vários outros séculos posteriores a região foi habitada por diversos povos, desde suevos a visigodos e então muçulmanos que dominaram a região por um longo período. Em 1143 foi estabelecido o Reino de Portugal e entre os séculos XVII e XIX o comércio de vinhos já estava inteiramente estabelecido, tendo a Inglaterra como principal consumidor. A grande procura dos ingleses pelo vinho douriense fez com que sua qualidade caísse drasticamente, resultando na intervenção do Marques de Pombal, que criou a primeira Denominação de Origem do mundo, o Douro Vinhateiro. Ele demarcou a região entre 1757 e 1761 com grandes marcos de granito gravados com a palavra "feitoria" no terreno designado. No século XIX o oídio e a filoxera se abateram sobre a região, que demorou um tempo para recuperar-se. Hoje o Douro é uma das mais apreciadas regiões vinícolas, de onde saem excelentes vinhos tranquilos dourienses e onde são plantadas as uvas para o Vinho do Porto, o mais famoso vinho à época da demarcação e um dos ícones mundiais até hoje. Um dos grandes atrativos da região, assim como de todo Portugal são suas castas autóctones, locais e originais, cheias de personalidade - inclusive nos nomes - e verdadeiros símbolos da resistência portuguesa. A região está situada no nordeste de Portugal e na bacia hidrográfica do rio Douro e um total de 250 mil hectares. Há três subdivisões (por fatores climáticos e sócio-econômicos) dourienses: Baixo Corgo e Cima Corgo (antes chamados de Alto Douro) e Douro Superior. Há cerca de 33 mil produtores na região do Douro e cada um possui uma média de 1 hectare de vinhas uma vez que a cobertura de vinhas da região demarcada é de apenas 18,3%. A DOC (Denominação de origem controlada) Douro é regulada pelo IVDP (Instituto do Vinho do Porto e Douro) mas há também outras categorias de vinhos na região, como o VEQPRD (Vinho espumante de qualidade produzido em regi��o demarcada), a DOC Porto e utras demoninações mais simples. Portugal mantém o conceito de estilos de vinhos, que podem ser considerados mais importantes que as denominações às quais eles estão submetidos. Entender os estilos de vinhos portugueses é uma excelente forma de guiar as compras. A região do Douro possui diversos estilos.

Em relação aos vinhos tranquilos:

Tintos para consumir jovens (tintos e brancos): para serem consumidos no dia-a-dia e nos primeiros anos depois da safra.

Tintos de guarda (tintos e brancos): mais complexos, elaborados e sofisticados, podem trazer no rótulo os termos Reserva ou Grande Reserva. Esses vinhos podem ter guarda de anos e até décadas a depender do produtor.

Vinhos rosados: esse estilo é relativamente novo e vem tomando forma nos últimos anos com o aumento da produção. Semelhantes ao estilo jovens, servem para serem consumidos no dia-a-dia.

Outros vinhos do Douro: menos comuns de serem encontrados, são os espumantes, moscatéis, "vinho novo" e colheita tardia, normalmente sob outras denominações que não DOC.

Douro

A região da Toscana tem uma longa e secular tradição vinícola. Durante muito tempo o Chianti reinou absoluto na região e foi ligado aos seus produtores mais famosos, como Frescobaldi, Ricasoli e Antinori. Dessa região também surgiram os famosos Supertoscanos, que ao recusar seguir as leis das suas DOCs e DOCGs, revolucionaram a vinicultura e forçaram mudanças como a permissão de plantio de castas estrangeiras como Cabernet Sauvignon e Merlot. A Toscana possui 64 mil hectares de vinhedos divididos em 42 DOCs, 11 DOCGs e 5 IGTs. A IGT/IGP (indicazione geografica tipica/protetta) Toscano é uma das denominações em que é permitido diversos tipos de vinhos, indo de frizzantes a passitos, tintos e brancos.

As leis que controlam a produção de vinho seguem a Disciplinare que exige que a IGT produza os vinhos:

- das uvas dos inteiros territórios das províncias de Arezzo, Firenze, Grosseto, Livorno, Lucca, Massa Carrara, Pisa, Pistoia, Prato e Siena.
- mantenha o rendimento máximo de toneladas de uva por hectare da sua denominação. O Rosso Toscano deve ter no máximo 16 toneladas por hectare.
- mantenha o mínimo de teor alcoólico da sua denominação. O Rosso Toscano deve ter no mínimo 10° de teor alcoólico natural.
- ao Rosso Toscano é permitida a refermentação com uvas passificadas, desde que limitadas à quantidade de 5 quilos por hectolitro.
- faça a vinificação dentro do território.

De excelente custo-benefício, a IGT Toscana é uma excelente escolha para se beber vinhos de qualidade sem pagar o preço mais alto que costuma acompanhar as DOCs e DOCGs.

Toscana

Douro Family Estates 

Região: Portugal - Douro

Douro Family Estates, ou DFE, é uma associação, criada em 2007, formada por quatro famílias produtoras de vinhos de quinta, no vale do Douro, a mais antiga região demarcada do mundo. Os produtores são proprietários das Quinta dos Poços, Quinta do Soque, Quinta das Bajancas e Brites Aguiar. As famílias que constituem a DFE têm consciência de terem, no essencial, os mesmos objetivos e as mesmas dificuldades, entre elas, preservar os aromas, os sabores e a excelência dos seus vinhos produzidos em terroirs únicos. Daí valorizarem princípios e objetivos de forma a defender as tradições e os valores das Famílias de modo a assegurar que sobrevivam nas gerações futuras.

No âmbito das sinergias criadas entre estas quatro famílias, surge naturalmente o projeto comum dos vinhos DFE.


Produzidos e vinificados individualmente por cada um dos produtores, os vinhos são cuidadosamente selecionados pela equipe de enólogos que , levando e consideração as qualidades de cada um, criam blends distintos e com identidade própria que compõem o portfólio da Douro Family Estates.

// Comentários

Comentários