Burchino Chianti Superiore 2014  Toscana
  • Burchino Chianti Superiore 2014  Toscana

Burchino Chianti Superiore 2014 | Toscana


Código 567

R$ 110,00

Compartilhe

  • Descrição
  • Região
  • Produtor

750ml
Região
: Toscana/Chianti - DOCG Chianti Superiore
Uvas: 90% Sangiovese, 5% Cilegiolo, 5% Canaiolo .

Bouquet característico com abundância de aromas de cereja, couro e cedro.
O sabor redondo com notas de alcaçuz e alcatrão é envolvido fruta madura quase cristalizadas.

Harmonização: perfeito com steaks, assados e filet mignon.

Teor alcoólico: 12,5°





A região da Toscana tem uma longa e secular tradição vinícola. Durante muito tempo o Chianti reinou absoluto na região e foi ligado aos seus produtores mais famosos, como Frescobaldi, Ricasoli e Antinori. Dessa região também surgiram os famosos Supertoscanos, que ao recusar seguir as leis das suas DOCs e DOCGs, revolucionaram a vinicultura e forçaram mudanças como a permissão de plantio de castas estrangeiras como Cabernet Sauvignon e Merlot. A Toscana possui 64 mil hectares de vinhedos divididos em 42 DOCs, 11 DOCGs e 5 IGTs. A DOCG (denominazione di origine controllata e garantita) Chianti abrange uma série de colinas em diversos territórios de várias províncias e possui as categorias Chianti, Chianti Superiore e os Chianti com suas respectivas subzonas: Colli Arentini, Colli Fiorentini, Colli Senesi, Coline Pisane, Montalbano, Montespertoli e Rufina. Cada uma das categorias segue regras próprias de sua subzona, referentes às porcentagens de uvas no corte, rendimento por hectare, etc.

As leis que controlam a produção de vinho seguem a Disciplinare que exige que a DOCG produza os vinhos:

- entre 70% e 100% da uva Sangiovese, até 10% de uvas brancas regionais (que variam por tipo conforme subzona) e permissão de adição de estrangeiras como Cabernet Sauvignon e Franc a depender da subzona.
- rendimento de uva por hectare conforme subzona declarada. No caso da menção Superiore o rendimento deve ser de 7,5 toneladas de uva por hectare.
- no caso de Chianti Riserva o afinamento deve ser de no mínimo 2 anos e em caso de menção de subzonas, conforme suas regras.

Conhecido por muitos brasileiros pelas garrafas fiascone, envoltas em palha, o Chianti foi uma das primeiras regiões a ser importadas para o Brasil e muitas vezes deixou a desejar em termos de qualidade, produzindo muito mais que sua capacidade. Nas últimas décadas, porém, a qualidade aumentou e bons produtores surgiram nas prateleiras nacionais. Chianti é um clássico que merece ser apreciado.

Castellani 

Região: Itália – Toscana 

"Desde 1903 minha família vem exportando vinhos da Toscana. Nós evoluímos nestas décadas, mas nossa filosofia é sempre a mesma: a qualidade do vinho começa na vinha. Hoje, com a entrada no novo século, nosso objetivo é o que sempre foi: criar vinhos memoráveis. Esta é a razão pela qual o nosso trabalho nos últimos dez anos tem sido tão apaixonado, investindo em pesquisa e novas tecnologias de vinícolas. " - Piergiorgio Castellani 

A família Castellani possui diversas vinícolas na Toscana, todas com certificado de produção orgânica ou transição para produção orgânica. Também há a constante preocupação em ser sustentável com programas oficiais e monitoração constante para atingir os exigentes padrões para continuar recebendo selos de qualidade como o ISO 9001.

// Comentários

Comentários